Assinatura RSS

Entrevista ao senador Eduardo Azeredo

O locutor Márcio Motta da Rádio Relógio e outras personalidades entrevistaram o Senador Eduardo Azeredo que se mostrou completamente perdido frente às argumentações. Ué Senador? Afinal à quem ser o projeto de Cibercrimes, se ele foi tão debatido e estudado, como o senhor ainda tem dúvidas e titubeia ao responder as perguntas?

Veja você mesmo

Agora pergunto, será que estes videos serão censurados, agora pergunto até quando eles ficarão no YouTube?

Anúncios

Sobre João Carlos Caribé

Consultor Trandisciplinar, formado em Publicidade e pós graduado em Mídias Digitais. Foi um dos pioneiros do ciberativismo pela liberdade na Internet, conquistando o prêmio Frida em 2011 pelo trabalho desempenhado na defesa da liberdade na Internet no Brasil. Também sou conselheiro no primeiro Conselho de Coordenação da NETmundial Initiative e membro do comitê executivo da NCUC na ICANN, ambos representando a sociedade civil da América Latina e Caribe. Também sou membro da Internet Society Brasil, Red Latam, BestBits, Comunidade Diplo, Dynamic Coalition on Network Neutrality and Global Net Neutrality Coalition.

»

  1. Note, sobretudo, no finzinho da entrevista, que ele não sabe o que é DRM, que é conceito básico para quem lida com informática e internet hoje em dia.

    O senador Eduardo Azeredo tem alegado que o projeto não tem a ver com direitos autorais. Mas não responde ao receio de que o controverso art. 285 se transforme na “DMCA brasileira”, em que o DRM seja considerado como “expressa restrição de acesso”. Isso quer dizer que qualquer tentativa de contornar o DRM será crime de acordo com o projeto.

    Na entrevista mesma, ele diz que quem compra o CD pode transferir as músicas nele como bem entender. Mas afinal quem é o “legítimo titular” do dispositivo de comunicação?

    Responder
  2. Parece que já tiraram um dos vídeos. Ou estou enganado?

    Responder
  3. Por enquanto, as quatro partes da entrevista ainda estão no ar. :)

    Responder
  4. Gostei da maldade que o Márcio Motta usou na hora de citar o DRM, e outras mais. Pena que mesmo ele mostrando uma educação para com o senador, ele se expôs muito, foi tendencioso a minar a Lei do Azeredo e esse louco parecer esquecer que são os senadores que votam a renovação de concessão da emissora. Basta uma ligação do senador para o dono da rádio (missionário rr soares), para ele estar no olho da rua! Esse cara é maluco….

    Responder
  5. É a sanha de regular. O sujeito acha que criminalizar um tipo de ação inibe automaticamente tal tipo de ação. Como ele mesmo disse, ele é da área de engenharia e análise de sistemas. Vai programar, senador!

    Responder
  6. o debate foi muito bom .Quem quer fraudar a internet é que fica só na crítica
    Participei do almoço na Federasul e quero deixar meus cumprimentos ao Senador Eduardo Azeredo pela coragem de enfrentar este problema crescente.

    Responder
  7. Acho impressionante e triste ao mesmo tempo que o poder de decisão esteja nas mãos de quem não entede nada do assunto. Afinal, basta ser o mais votado para se eleger e pronto! Os únicos pré-requisitos para se candidatar a qualquer coisa no Brasil é ser brasileiro nato ou naturalizado, e ser alfabetizado. Será que merecemos tão pouco???

    Responder
  8. Fome, colarinho branco, desigualdade social, compra de voto no senado federal, propinas e mais propinas, mensalões, currupção, poderia ficar o dia todo falando sobre a conduta de senadores e deputados federais e com que eles realmente deveriam se preocupar, mais sabem de uma coisa, a culpa é nossa de colocar-mos no poder pessoas como Eduardo Azeredo sem um pingo de conhecimento, e sem condições técnicas de debater um tema tão complexo, é mais uma ditadura, só que dessa vez no mundo digital precisamos dizer não e basta para individuos como esse senador, nos temos um poder maior que é nosso voto, a esperança que tenho é que um dia que nós jovens tomaremos o poder das mãos dessa velharada, de pesamentos retrógrados e arcáicos.

    Responder
  9. Pingback: Involução Virtual « Catorze

  10. Seria pura falta do que fazer? Talvez lavar uns pratos ou umas roupas fosse mais interessante que criar uma lei desta. Ou, quem sabe, procurar criar leis que viabilizem a melhora na vida do brasileiro, algo que vise o bem-estar: educação, lazer, segurança.

    Responder
  11. O MEU PAIS É UMA GRANDE COMÉDIA!

    Quando eu vejo/leio/escuto algo sobre “LEIS JUDICIAIS” desse pais, não apenas essa, mais de uma forma geral. Eu me sinto um completo palhaço num pais que ao meu ver é um grande circo.

    Leiam e reflitam sobre isso… As leis neste pais só são aplicadas aqueles que não podem manipula-las.

    See ya!

    Responder
  12. O Azeredo acha que entende de informática só porque formou-se em computação no século quinze, estudando computadores à lenha.

    Bem-vindo ao terceiro milênio.

    Responder
  13. Fátima Buarque de Holanda

    Gente… que ditadura é essa? Sendo uma cidadã interessada em conhecer pessoas “do bem”, descobri daqui de São Paulo o telefone da Rádio Relógio do Rio de Janeiro, liguei para parabenizar a conduta, inteligência e coragem da emissora e desse comunicador Marcio Motta. Fui informada que ele foi desligado da equipe. Que absuuurrrrrdo. Quando aparece alguém com coragem de debater os temas que verdadeiramente nos interessam, são eliminados! Nota ZERO para a Rádio Relógio e seus responsáveis! O telefone da rádio é: (021)2445-2124 – Vamos incomodar! Pelo bem do Brasil!!!!

    Responder
  14. Na verdade, a própria DRM deveria ser um crime contra os direitos do consumidor, principalmente em países onde não se troca discos(Brasil).

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: